fbpx

Tempos modernos, viva a diferença!


Temos ideia de que há certos padrões de comportamento, no qual as pessoas devem se encaixar! Como exemplo, a de que todo homem deve se casar com uma mulher e vice-versa. Em seguida virão os filhos, os netos e todo o ciclo da vida. Talvez esta seja a imagem que se faz de uma família. Mas ela andou mudando e muito! O divórcio foi aprovado e novas configurações familiares começaram a surgir. Em alguns lares, o casal vem de uma experiência anterior, junto dela seus filhos e a família aumenta. Qual o parentesco dessas crianças? Nenhum! Entretanto é como se fossem irmãos. Não parou por aí. Apareceu a produção independente, onde os filhos têm apenas o pai ou a mãe. E inclusive há os que têm dois pais ou duas mães.

Contando assim, parece uma coisa natural. Porém, as mudanças na família não foram tão simples. Os espaços foram sendo conquistados e incorporados ao sistema social. Por esses dias, aconteceu mais um avanço: o reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo através da obrigatoriedade dos cartórios em realizá-los. Mas será um avanço mesmo? Ora, apenas se oficializou aquilo que já existia na prática. Ou alguém imagina que haverá menos casais homossexuais caso seja considerado ilegal o casamento entre eles? Apenas ocuparão o lugar que sempre lhes foi de direito, o de cidadão. Muitos são contra a esta aprovação, como outrora foram contra o divórcio. O incômodo com a situação talvez resida na constatação de que, aquele que é considerado diferente, está de acordo com o que sente ser, e não com o que imagina que deve ser. Quantos de nós que, para tentar se encaixar em algum padrão não necessariamente o sexual vai contra sua natureza?

Não dá para negar a realidade. Os pais hoje em dia, têm de criar seus filhos com uma visão de diversidade, para que eles possam ser o que realmente são, respeitando aqueles que são diferentes. É preciso prepará-los para os novos (não tão novos) tempos.  

Viva a diferença, viva o Amor! Live the difference, Live the Love! Evviva la differenza! Evviva l’Amore! Viva la diferencia, Viva el amor!

Escrito pelo Professor Aldo Belfia. 

Deixe seu comentário?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *