fbpx

Em breve: ferramenta gratuita de inteligência artificial para ajudar a curar doenças


Imagem BLOG ferramenta gratuita de inteligência artificial para ajudar a curar doenças

Como acelerar as pesquisas e as descobertas científicas? Tornando mais fácil para os pesquisadores acessar 25 milhões de trabalhos científicos em uma base de dados controlada por inteligência artificial.

Pelo menos é o que querem o cofundador do Facebook Mark Zuckerberg e sua mulher, Priscilla Chan.

Em janeiro, a Iniciativa Chan Zuckerberg* adquiriu o Meta, mecanismo de busca que conta com a inteligência artificial para filtrar a enxurrada de pesquisas científicas disponíveis para que estudiosos possam acessar as pesquisas mais importantes e relevantes primeiro.

A iniciativa não comprou a empresa somente porque era uma ideia bacana. Recentemente empenhou US$ 3 bilhões para ajudar a curar, prevenir ou controlar todas as doenças até o fim do século 21. Disponibilizar a cientistas e estudantes ferramentas de inteligência artificial deve ajudá-los a identificar novas oportunidades e possibilitar avanços.

O mecanismo de busca será gratuito para todos até o final deste ano. Você pode se inscrever agora para reservar uma conta*.

TechCrunch: Iniciativa Chan Zuckerberg compra mecanismo de busca científica Meta e o torna gratuito http://tcrn.ch/2jRqxRH @joshconstine @TechCrunch

Cientistas de todo o mundo compartilham seu trabalho em publicações revisadas por pares. Nas áreas dinâmicas da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, novas publicações surgem mais rápido do que os cientistas conseguem acompanhar. Somente na Biomedicina, 4 mil novos artigos são publicados diariamente.

É impossível para o ser humano processar tudo isso, a não ser por leitura por redes neurais avançadas.

“O potencial para esse tipo de plataforma é praticamente ilimitado”, escreveu Cori Bargmann e Brian Pinkerton, da Iniciativa Chan Zuckerberg.

Eis o que o mecanismo de busca vai fazer:

  • Para estudantes: o Meta facilitará a redação de artigos científicos. O mecanismo de busca mostrará resultados dos cientistas mais conceituados de uma área e ajudará os estudantes a priorizar o que ler.
  • Para cientistas: a ferramenta encontrará os dados mais recentes e relevantes e identificará experimentos já realizados. Isso possibilitará aos pesquisadores se concentrar em novas áreas de investigação.
  • Para universidades e empresas: as organizações podem detectar tendências onde a inovação está se dando, para que possam escolher melhor áreas promissoras para financiar.

“Nossa intenção não é lucrar com os dados e as capacidades do Meta”, escreveu Sam Molyneux, CEO do Meta. “Ao contrário, pretendemos garantir que eles cheguem a quem mais precisa deles, em todos os setores e o mais rápido possível, em benefício do mundo.”

Deixe seu comentário?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *